segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Os Cult bacaninhas

Por Igor de Oliveira Costa

Ser Cult bacaninha é, sendo homem, usar cachecol para se proteger do rigoroso inverno carioca enquanto se dirige para apreciar uma produção cinematográfica Quirquistanesa no Estação Botafogo.

Ser Cult bacaninha é curtir a produção cinematográfica do Quirquistão, porque ela subverte a antiquada linguagem hollywoodiana. Os Cult bacaninhas, mesmo morando em Ipanema, adoram a arte e a poesia subversiva.

Ser Cult bacaninha é morar em um apartamento de cinco quartos em Ipanema e não se achar rico. “Rico, eu?! Rico é o pai da Paulinha, que tem um iate.”

Ser Cult bacaninha é ter um blog de poesia e postar fotos de suas viagens pelo mundo. Os Cult bacaninhas adoram afirmar que quem nunca visitou Paris não sabe o que é viver.

Ser Cult bacaninha é curtir a poética de Rimbaud, mas ficar as-som-bra-do quando alguém diz que o homem, após os 18 anos, renegou tudo o que havia escrito, jamais escreveu uma linha e foi ser, dentre outras coisas pouco ortodoxas, traficante de armas na Etiópia.

Ser Cult bacaninha é não saber onde fica a Etiópia, mas ter adorado uma tábua de frutos do mar servida no De Leopol International de Addis Ababa.

Ser Cult bacaninha é lutar pela proteção dos animais, mas não resistir ao baby beef do Porcão Rio’s e ao foie gras do Caeser Park Ipanema.

Ser Cult bacaninha é adorar Ipanema e os bares da Vinicius de Moraes.

Ser Cult bacaninha é defender o meio ambiente usando ecobags e papel reciclado.

Enfim, ser Cult bacaninha é saber aproveitar a vida, no Rio de Janeiro, em Veneza ou em Ibiza, com um sorriso brilhante no rosto e sempre preocupado com as questões sociais, mesmo virando a cara quando um mendigo vem pedir uma esmola ou um pouco de comida.

15 comentários:

  1. Ei, eu adoro ecobags e papel reciclado! E como eles são caros! Absurdo!
    Então ser cult bacaninha é ter dinheiro pra ostentar o luxo de ser cult bacaninha e usar papel reciclado. Mas aposto que o papel higiênico é Personal folha dupla do branco mais branco :P


    (pra não deixar de destilar, ser cult bacaninha é dizer que quem não chorou em paris não tem coração, cult, eu?! a minha prima paulinha ganhou um jabuti!)


    Li

    ResponderExcluir
  2. Ah! Você é Cult bacaninha ao extremo. Todos que curtem Fernando Pessoa, principalmente O Livro do Desassossego, o são.

    No mais, vou fingir que não entendi o que você destilou por aí, para não me comprometer. Lembre-se, eu não disse isso. rsrsrs

    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Você não me viu passar por aqui...

    E não fui eu quem fez curso do livro do desassossego e precisou admitir que o cara é sinistro mais que os avassaladores.


    EU, CULT BACANINHA??? e ao extremo??? eu nem tenho uma prima chamada Paula! Vê se sou eu quem disputa nota na literatura clássica. ahahha :P

    ResponderExcluir
  4. Acho que você deveria comocar um "apud Alves, S.P." quando você se referir o "cult bacanismo..." kkkkkkkkkkkkkk

    Levou a sério esta expressão, hein?

    abç

    salomão

    ResponderExcluir
  5. Ah, mais uma coisa: seu texto foi pedra de tropeço aqui no trabalho.

    Alguns identificaram os "cult bacaninhas" fizemos "bulling" com ele (atitude muito saudável nestes tempos "politicamente corretos")

    Os Cult bacaninhas, obviamente não vestiram carapuça e olharam com cara de desdém... Sabe aquela levantada na sombrancelha para mostrar que está analisando criticamente o texto? Pois é... kkkkkkkkk

    um abç

    salomão

    ResponderExcluir
  6. À Li:
    Aquele curso foi um engano. Era Sermonário Barroco Português com um especialista em Vieira, mas o cara, que também gostava de Pessoa, resolveu dar outra coisa. Acabou que no meu histórico está um curso de Sermonário que nunca fiz. Bizarra, essa universidade brasileira.

    Ao Salomão:
    Fica dado o crédito da expressão a você, mas metade da crônica não é minha, mas foram de frases de conhecidos meus. Os dois primeiros parágrafos são do Miguel. A frase do iate é da Lívia. A de Paris é da Li... Meu mesmo, só a assinatura.

    Quanto ao tropeço, que bom que meus textos são úteis para alguma coisa. Os Cult Bacaninhas realmente merecem ser bulinados. rsrsrs

    ResponderExcluir
  7. Não meu camarada. Você não está entendendo. o seu texto passou pela lista de e-mail interna, na intranet daqui do trabalho... kkkkkk

    abç

    Salomão

    ResponderExcluir
  8. "Não meu camarada. Você não está entendendo, o seu texto passou pela lista de e-mail interna, na intranet daqui do trabalho.." (2)

    o tal cara doido especialista em vieira fez um bem pra sua vida, admita. como vc sairia da faculdade só com um mísero poeta filho do amoníaco na bagagem e nada de desassossego de verdade? Vergonhoso, não acha?

    E me inclua fora dessa. Eu não disse absolutamente naaaaada sobre Paris, eu nunca fui a Paris, nem sei o que é viver! mas tenho uma amiga que foi pra lá e ela nem blog tem. A frase é da amiga da Paulinha, ou da Paulinha. Agora não lembro. Você está confundindo os personagens, ó menino. =D
    se insistir, não fui eu, deve ter sido meu eu lírico (ou cítrico).
    Mas adorei o "meu mesmo só a assinatura", a coisa mais canalha e descarada que um literato pode dizer. "é tudo culpa da mí-me-sis" ou da verossimilhança,nada tem compromisso com a verdade", mera coincidência. Cara de pau! huhahhaha

    Li

    ResponderExcluir
  9. adorei o comentário do seu amigo. "Os Cult bacaninhas, obviamente não vestiram carapuça e olharam com cara de desdém... Sabe aquela levantada na sombrancelha para mostrar que está analisando criticamente o texto?"

    eu adoro imitar isso! huahahhaha,sei exatamente como é.

    Li

    ResponderExcluir
  10. Ao Salomão:
    Huahuahuahua Gostaria é de saber como o texto foi parar lá. Caminhando com as próprias pernas é que não foi. rsrsrsrs

    À Li:
    Ainda bem que não sou literato, sou blogueiro. No mais, como talvez dissesse o Salomão:

    Ser Cult bacaninha é dar aquela levantada de sobrancelha e posar de intelectual quando se está lendo qualquer coisa, até embalagem de papel higiênico (extra branco, claro!).

    ResponderExcluir
  11. huahahaha.. Eu nasci cult bacaninha então, porque eu era criança quando saiu esse comercial e todo mundo me zoava que eu fazia isso falando com as pessoas, e olha que nessa época meu sonho era ser cantora ou pediatra ou veterinária,como toda menina. vc é literato, faz literatura, literato, literato. e é dos literatos portugueses que leram eça ou pessoa pelo menos metade de uma vez na vida dizer que não é nada. um bando de sabonetinho. só pra não se comprometer, vc é o maior cult bacaninha desde que eu te entendo por gente. "ai, eu não acredito que eu não tirei dez em literatura clássica, a matéria que eu mais sei" (vou jogar isso na sua cara para todo o sempre amém) =P

    ResponderExcluir
  12. tem mais 3 pra vc..

    Ser CB eh reclamar da Zara usando trab escravo e sair de Nike e Adidas..
    Ser CB eh "dar um 2" pra abrir a mente e dps reclamar dos tiroteios pela cidade..
    Ser CB eh vestir camisa do Che e falar q ele eh cubano..rs

    Sem mais

    Ivan Lima

    ResponderExcluir
  13. À Li:
    Não tô gostando desse negócio de você colocar citações minhas nos seus comentários, sobretudo citações comprometedoras. A partir desse instante vou passas a moderar (cortar, excluir, extirpar) qualquer comentário que faça referências pejorativas a meu passado obscuro. rsrsrs

    Ao Ivan:
    Perfeito!!! Concordo plenamente com a sua colocação. rsrsrs

    ResponderExcluir
  14. CULT BACANINHA CULT BACANINHA! pior! cult bacaninha ditador, que feiooo! ahahahh


    (todos temos um passado meio escuro mesmo,eu gosto de pedro mariano, lembra? ahah)
    Li

    ResponderExcluir
  15. À Li:
    Nem vou comentar nada.

    A todos:
    Contribuição da Monique para o Cult bacanismo:

    "Ser Cult bacaninha é dizer-se hippie com uma saia de quatrocentos reais."

    Perfeito!

    ResponderExcluir